"Nada novo pode existir sem a destruição do velho..."

>> sexta-feira, fevereiro 02, 2007



É importante, sempre, saber quando termina uma etapa da vida. Se você insiste em permanecer nela, além do tempo necessário, perderá a alegria e o sentido de tudo o mais.

Encerrando ciclos, fechando portas, ou encerrando capítulos, como queira chamar, o importante é poder encerrá-los, deixando ir momentos da vida que se concluíram.

Terminou seu trabalho?
Acabou sua relação com o parceiro?
Você já não vive mais numa determinada casa?
Deve fazer uma viagem?
A amizade com alguém terminou?
Roubaram você em sua casa?
Morreu um ente querido?
Quebrou ou estragou um objeto de estimação?
Você descobriu que o mentor espiritual que seguia era uma fraude?

Você pode passar muito tempo de seu presente remoendo os porquês,
tentando devolver a cassetada que levou, ou mesmo procurando entender
por que aconteceu tal fato em sua vida. O desgaste vai ser infinito, pois, na vida, você, seus amigos, seus filhos, seus irmãos, todos temos de ir encerrando capítulos, virando a página, concluindo etapas ou momentos da vida e seguir adiante.

Não podemos estar no presente com saudades do passado. Nem sequer perguntando-nos por quê? O que passou, passou, e temos que soltar, desprender, não ficar presos ao que passou. Não podemos ser crianças eternas, nem adolescentes tardios, nem empregados de empresas que já
não existem, nem ter vínculos com quem não quer estar vinculado a nós.
Não! Os fatos passam e temos que deixá-los ir!

Por isso, às vezes é importante destruir recordações, livrar-se de presentes, mudar de casa, rasgar papéis velhos, desfazer-se de livros ou de objetos que são desnecessários. As mudanças externas podem simbolizar processos interiores de superação. Deixar ir, soltar, desprender-se.

Na vida ninguém joga com cartas marcadas, e temos que aprender a perder e a ganhar. Temos que deixar ir, virar a página, viver só o presente. O passado já passou.

Noivados ou amizades que não se fecham, possibilidades de regressar para quê? Necessidade de esclarecimentos, palavras que não se disseram, silêncios que o invadiram: se puder enfrentá-los já e agora, faça-o! Se não, deixe-os ir, encerre os capítulos. Diga a você mesmo que não, que
não deve voltar. Mas não por orgulho, nem por soberba, mas porque você já não se encaixa aí, nesse lugar, nesse coração, nessa habitação, nessa morada, nesse escritório ou nessa profissão.
Sua freqüência agora é outra.

Você já não é o mesmo que foi há dois dias, há três meses, há um ano. Portanto, não há porque voltar. Feche a porta, vire a página, encerre o ciclo. Nem você será o mesmo, nem as circunstâncias seriam as mesmas, porque na vida nada se mantém quieto, nada é estático.
É saudável mentalmente ter amor por você mesmo, desprender-se do que já não está em sua vida. Recorde-se de que nada, nem ninguém, é indispensável.

Nenhuma pessoa, nem um lugar, nem um trabalho, nada é vital para viver, porque quando viemos a este mundo chegamos sem qualquer adesivo ou etiqueta. Portanto, é apenas costume viver apegado a um adesivo ou etiqueta. E é um trabalho pessoal aprender a viver livre, sem o adesivo ou etiqueta humano ou físico que hoje dói, deixar ir.
Mas encerre, feche, limpe, jogue fora, oxigene, desprenda-se, sacuda, solte. Existem muitas palavras que significam saúde mental, e qualquer que seja a que você escolha o ajudará definitivamente a seguir adiante com tranqüilidade.

Esta é a vida.

4 comentários:

Aline Radialista 12:29 AM  

Vc tá realmente inspirado. Ler esse post é como olhar para o espelho.
Estamos nessa mesma fase de transição da virada da página...e nunca vamos nos defrontar com problemas antigos. É a merda necessária que preside a vida.
Sinto falta do seu cheiro, meu preto!
Amigo... muitas vezes todas as páginas foram viradas e a única coisa que nos resta é jogar fora o livro todo.

cotrimus 1:00 AM  

quer ser meu guru?
caralho!!! perfeito!
era tudo o que eu precisava "ouvir"...na boa.
Confesso ter muita dificuldade de viver no presente..tá tudo bem, eu e a torcida do Flamengo...mas meu caso é crônico.
alguma dica de tratamento? drogas? caipirinha? livros?
ou um papo com um velho amigo?

quando nos encontramos?

bjs na testa!

Danizinha 11:09 AM  

Qualquer semelhança, não deve ser mera coincidência...

Beijos!:o*

China 5:08 PM  

Nego,vc sempre diz a coisa certa na hora certa...xero!!!