Supermercado de Paixões

>> domingo, fevereiro 01, 2009


Quando Marilda viu, Edgar estava tirando o carro da garagem. Há mais de 20 anos que eles não faziam supermercado juntos. No começo da relação e do casamento, um não ia na padaria sem outro. Mas o tempo havia passado e comprar comida virou uma coisa chata, já que Marilda é chata para comer tb, e ela tentava fazer as compras da maneira mais rápida possível. Mas Edgar cismou com aquela besteira e não havia santo que o fizesse mudar de idéia.
No mercado, pegaram dois carrinhos e cada um foi pra um lado. Encontraram-se a primeira vez em frente ao açougue.

_O que é isso, Edgar?!
_Que eu saiba é uma alface...
_Pode devolver
_Qual é o problema com a coitada da alface?
_Ela não é orgânica
_"Orgânica?!"
_Ela não teve crescimento natural.
_Não? Porque? Ela foi adotada?
_Bota de volta na prateleira logo. Ô Fadiga!
_Faz uma coisa, você compra as verduras e eu cuido do resto.

Trocaram os carrinhos e lá foi um para cada lado outra vez. Daqui a pouco se encontraram de novo.

_O que é isso Edgar?
_Frango. Nunca viu um? É o filho da galinha antes de ficar adulto.
_Você sabe de onde veio esse frango?
_Provavelmente do ovo, mais natural impossível!
_Você viu na embalagem em que granja ele foi criado?
_Caralho de asa voadora, faz diferença?
_Você poria seus filhos em qualquer escola?
_Poria. Se nós fôssemos abatê-los depois.
_Bota de volta na prateleira. Chato!
_Marilda, é só um frango.
_Mas tem que saber onde ele foi criado
_Com certeza não foi numa granja de colégio militar! Custaria o dobro do preço.

Ficou acertado que Marilda cuidaria da comida e caberia a ele comprar só os supérfulos. Quando se encontraram no caixa, na hora de pagar, ela reclamou de novo.

_O que é isso?
_Um CD, ué. Comprei para as crianças
_Ninguém mais compra CD, Edgar! Teve uma ataque do alemão outra vez?
_Alemão?
_Alzheimer
_E como elas ouvem musica então?
_Eles baixam da internet.
_Merda.

De noite, antes de dormir, Edgar estava decepcionado. Marilda tentou animá-lo e como ele se anima em frações de segundo, a coisa acabou na cama. Fizeram sexo a noite inteira, como faziam antigamente. O mundo podia ter mudado, mas nisso o Edgar continuava imbatível!

Claudio Paiva

6 comentários:

Fernanda Pereira 7:00 PM  

Ligeira identificação, né?!

Fadiga!

kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

R.Paschoal 1:54 PM  

Perfeito, não?!?

Ninguém envolvente 5:31 PM  

Meu Edgar ta mudado... rss mas - abafa o caso - bjs

Danielle Lima 1:38 PM  

Claúdio Paiva é ótimo!
Ha ha ha!

Beijo!

*Renata 4:52 PM  

Ei menino que nao sossega.. layout forte esse :)

Adorei o texto!

beijoca.

drika 12:06 AM  

adoreeeeei!