Cidade Sem Limite de Velocidade

>> domingo, junho 22, 2008


Estive lendo algumas opiniões sobre a nova lei que será sancionada para motoristas alcoolizados e discordo de algumas quando inclusive dizem que esse tipo de lei remete ao Nazismo, Ditadura, Stalinismo e etc, por considerarem meio...radical! Vamos as "Vias de Fato":


A Câmara dos Deputados aprovou projeto de lei que prevê mais rigor contra o motorista que ingerir bebida alcoólica. Com o novo texto, passa a ser considerado crime conduzir veículos com qualquer teor de álcool no organismo e a falta vai ser considerada gravíssima, prevendo suspensão da carteira de habilitação por um ano e multa. Atualmente, somente motoristas com mais de 6 decigramas de álcool por litro de sangue são penalizados. O projeto também prevê a proibição da venda de bebidas alcoólicas em zonas rurais das rodovias federais. Além disso, o motorista ficará sujeito a prisão de 6 meses a 3 anos. Pelo novo texto, o motorista embriagado que se envolver em acidente com morte poderá ser processado por homicídio doloso (pena de 6 a 20 anos de prisão) e não mais por homicídio culposo com agravante, que permitia pena máxima de 6 anos. Essa mudança foi aprovada pelo Senado e mantida na Câmara dos Deputados. Os motoristas embriagados que se recusarem a se submeter ao teste do bafômetro ou a outros exames poderão, a critério da autoridade policial, ser multados e perder a carteira de habilitação por um ano.


Existe uma campanha aqui no DETRAN-RJ sobre dirigir alcoolizado (não encontrei placas na internet, vou ter q fotografá-las) em que é tão chocante quanto propaganda em maço de cigarro: um carro em pedaços, com a carcaça completamente retorçida (dando uma idéia do impacto e do estado do corpo) com um casal em prantos e desespero dizendo : "Nós só queriamos dizer q te amamos filho, mas vc não voltou". Campanhas de prevenção sempre, SEMPRE existiram! Quantas vezes na Lapa, aqui no Rio, eu presenciei campanhas feitas dentro e fora dos estabelecimentos. Por exemplo, um casal começa a discutir sobre a posse da chave do carro porque o namorado está bebado. Depois da briga, em alto e bom som para todos ouvirem, eles se reconciliam e se apresentam como um grupo de teatro fazendo campanha na prevenção de dirigir bebado. Outras chamadas do Zeca Pagodinho, principalmente em época de Carnaval : "Deixa a vida te levar. Mas se beber, deixa que o táxi te leva." Até uma sexta-feira onde vários homens e mulheres, lindas e saradas andavam fantasiadas na rua dizendo serem Anjos do Asfalto, com a ironia de convencer os marmanjos e as marmanjas de que "Por mais que vocês nos achem divinas, NENHUM de vocês vai querer nos conhecer pessoalmente!" (dizer isso na Lapa em plena Sexta-feira é o máximo da ironia! Teve amiga dizendo que se converteria na hora se conhecesse o sexo dos anjos!) junto com um informativo polêmico: Anualmente, ocorrem mais de 350 mil acidentes nas ruas e estradas brasileiras com um saldo sinistro: 33 mil mortos e mais de 400 mil feridos, associando os numeros a estatísticas de guerra (dados divulgados pelo CONTRAN). E 75% dos acidentes de trânsito é cometido por motoristas alcoolizados! Algumas pessoas acham o cumulo do absurdo serem multadas por ingerir qualquer quantidade de álcool (alguns alegando que na França e na Espanha toma-se todos os dias uma taça de vinho no almoço e todos saem guiando). Ainda bem que o Código de Transito e os motoristas daqui são iguais aos de lá, não é verdade?

Mas, isso garantirá que o jovem NÃO dirija bêbado? Uma campanha de conscientização não quer dizer que os motoristas já perderam a consciência sobre o assunto? Aumentar para pena de morte a punição aos motoristas que causam acidentes, DIMINUIRÁ o numero de acidentes? Aliás, isso é para ser tratado como uma via isolada, ou vc tem que pegar a Lei para punir aqueles que causam, conscientizar aqueles que perderam a consciência, e/ou educar aqueles que não entendem? Ah tá, faltou o ultimo!

Justamente o que mais dá trabalho...
O DENATRAN já teve um Projeto de Lei (não sei se ainda está em vigor ou não) que inclui na grade de escolas municipais e estaduais Educação no Transito, mas parece que se perdeu no caminho da burocracia em transmitir a responsabilidade para os respectivos governos municipais e estaduais fazerem o que bem entendem. Conheço poucos colégios PARTICULARES onde tem isso. E segundo o próprio DENATRAN, a Semana Nacional de Transito em 2008, será voltada para as Crianças. Ótima oportunidade para retomar e refazer o projeto de lei sobre educação de transito nas escolas DANDO TANTA IMPORTÂNCIA quanto o projeto de lei sobre a punição de motoristas alcoolizados. Existe sim alguns casos isolados de campanhas, projetos, livros infantis e infanto-juvenis, que funcionam e cumprem seu papel. Veja mais aqui:

Campanhas do Portal de Transito

Educação no Transito de Juiz de Fora

Se alguém conhece mais campanhas me avisem.

Me lembro de um projeto de transito e urbanização inédito, implantando na cidade de Dratchen, na Holanda (é, tinha q ser lá!).

Tentaram provar que, num país de altíssimo respeito aos direitos do próximo, com leis duríssimas e cumpridas, com uma polícia de trânsito incorruptível e altamente treinada, com elevado espírito comunitário e sem analfabetos, o tema Faça as ruas parecerem perigosas e elas se tornarão seguras funciona. Ou seja: podem retirar os avisos de sinalização porque o povo já tem a lei como norma.

O engenheiro Hans Monderman, idealizador do projeto-piloto, externou a sua filosofia: - Quanto mais informal a organização do tráfego, mais as pessoas terão autonomia para decidir o que é certo. Sendo tratadas como idiotas, elas só podem se comportar como tal.

No total, sete projetos-pilotos estão sendo realizados na Holanda, na Bélgica, na Dinamarca, na Grã-Bretanha e na Alemanha.

Na cidade de Bohmte, o projeto inclui a remodelação de uma via central da cidade que não terá mais uma clara divisão entre rua, calçada e ciclovia. Os motoristas têm de seguir apenas duas regras: trafegar pela direita e dar preferência a carros que se aproximam vindos do lado direito.
Foram eliminadas faixas, semáforos, placas de sinalização e até a divisão entre rua, ciclovia e calçada. Quem chega de carro depara-se com um portal que lhe dá as boas vindas e avisa que a pessoa está entrando numa área de tráfego restrito. A velocidade máxima permitida é de 30 km/h, mostrada numa das raras placas sobreviventes. A partir deste portal a paisagem muda. A rua vira um grande bulevard, ''como se fosse um calçadão'', diz a reportagem.

O sistema funciona nessa pequena cidade holandesa (possue 50.000 habitantes), há mais de três anos, sem nenhum registro de acidente grave. A média é de 8 acidentes POR ANO! E, acima de tudo, porque eles possuem um Código de Trânsito altamente didático possuindo 600 páginas, nas quais todo artigo tem a explicação de porque foi criado e de como fazer para respeitá-lo em seu próprio benefício e não apenas pelo temor da lei.

Alguém tá vendo algum sinal por aqui?

Até porque, se for levar em consideração APENAS o Projeto de Lei, vai ser mais uma perda TOTAL de tempo com as muitas pessoas que tem calibre para conseguir recursos em cima de decisões judiciais: Não importa que crime ou acidente cometeu, desde que tenha um BOM ADVOGADO...

2 comentários:

Danielle Lima 5:19 PM  

Cara, nem li tudo...PUTZ! Muito grande...mas acho que vc devia ler um pouco mais sobre as políticas de prevenção e danos. Esse termo conscientização é feio mesmo, melhor quando se usa sensibilização....O fato é: Alcool e volante não combinam, mas as pessoas continuam agindo assim pelo mesmo motivo que não se previnem em qualquer coisa: Porque acreditam que nunca vai acontecer com elas. E como intervir nisso? Será que educação é o suficiente?

drika 1:51 AM  

eu sou muito a favor da nova lei!
sempre achei q àlcool deveria ser proibido pra quem bebe. e q as penas pra quem comete crime no trânsito ainda são muito leves!
um dia, as coisas serão assim, como na holanda. mas por enquanto, aqui as pessoas ñ estão preparadas pra isso. no brasil sempre foi assim: eu primeiro.
um dia...
beijos.