Ponto de Vista

>> sábado, julho 21, 2007


Adoro a transitoriedade na qual me encontro hoje em dia. A maneira como qual participo de vários universos ao mesmo tempo, classes sociais diferentes, religiões diferentes, pensamentos diferentes e principalmente pontos de vistas diferentes, ainda mais aqueles conflitantes, que conseguem ser transcedentais e que vc nunca tinha imaginado, e que agrega cada vez mais conhecimento de tal forma que faculdade alguma conseguiria. De jornalistas, escritores, poetas, filósofos a gente "normal", que mal estudou o primário, mas consegue ser mais inteligente do que jornalistas-escritores-poetas-filósofos!
De todos os que já me deparei ou me defrontei, o que mais decepciona é o ponto de vista de alguém que tenta julgar aquilo que vc faz da sua vida, especialmente quando não faz mais parte dela. Concordo com minha vizinha Palikir, que não carrega mágoa e nem ódio de ninguém. Perdoar não é justificar o erro, aceitar. É ficar em paz consigo mesmo e com o outro. Já tive desilusões, acões precipitadas, instintivas, inpensáveis. Como dizer que não faria tal coisa e fazer um monte de vezes, como qualquer um. Ou como disse que co-relacionamentos são recíprocos, expontâneos, surgem quando menos espera e adora te surpreender, não são matemáticos e nem tem hora marcada. Teve casos em que eu acreditei e na ultima hora algo de errado aconteceu e não se concretizou. Não era para ser. Vou ficar me lamentando, me magoando, me remoendo? Para que? Num ponto de vista mais sensato, isso vai trazer algum beneficio? A vida continua. Há muito tempo aprendi que tudo que faço na vida tem um propósito, dos sucessos e dos fracassos. Que o que procuro não está em lugar algum nem em ninguém. Em outras ocasiões, a simplicidade seria o suficiente para expressar sentimentos, pensamentos e opiniões. Mas existem evidentemente palavras que não tinham a menor necessidade de serem ditas. A troco de que?

Pouco importa o que vc come, o que bebe, o que fuma, o que cheira, com quem vive, com quem trepa, com quem convive, com o que estuda, com o que se relaciona, se é casado, solteiro, divorciado, amante, prostituto, se tem problemas psicológicos, ou com a própria psicóloga, se faz amor, se faz sexo ou se faz filho.

O que importa é a sua consciencia. O que vc acha e faz da sua vida é problema seu. O que os outros acham ou pensam que sabe do que vc faz da sua vida, é problema deles.
O problema não é apenas julgar ou não, e sim que vc se limitando a um ponto de vista proprio, vc acaba cegando aquilo que vc não sabe que outra pessoa tem, conquistou, construiu e agregou ao longo do tempo. Não somos a mesma pessoa de ontem, nem seremos as mesmas de amanhã. Quem não teve discussões familiares, onde vc fala 1000 palavras, ouvem 100 e tiram conclusões a partir das 100? Surdez pela idade e surdez por opção são coisas diferentes.


Isso, particularmente, é demonstrar mais um ponto de vista. Sem mágoas, sem dor, sem ressentimentos, sem frustrações, com toda alegria, sucesso, carinho e amor que eu quero para aqueles que me cercam. Nossa história continua sendo escrita.

Cada um com sua maneira de escrever...

"AIêieu"

4 comentários:

Palikir 1:40 PM  

Fomos separados no nascimento??? Uma coisa que eu penso é que devemos dar valor (assim mesmo nem tanto) as pessos que realmente nos amam. É muito fácil julgar, criticar. Mas como já dizia Caetano "cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é". (espero que esteja certo). Acertamos, erramos, pedimos desculpas, às vezes são aceitas, outras vezes não...O que no fundo interessa é sermos felizes. É claro sem magoar as pessoas, mas sempre procurando o caminho da felicidade. A cada dia que passa eu vejo que nós somos os culpados pela nossa infelicidade. Isso não é papo de livro de auto-ajuda!!! Ser feliz, ficar em paz é uma escolha sim. Que bom que vc gostou do meu comentário. Ultimamente ando procurando quem pense da mesma forma que eu. Meu mundo anda meio vazio...

Beijos!!!

lyS 1:21 PM  

Infelizmente nao e todo mundo que tem o discernimento entre o que eu penso e o que vc pensa.
Cada um faz o que bem entender da sua vida, o que os outros vao pensar, ai sao outros quinhentos.
Esse texto diz tudo o que eu nao consegui dizer no meu frances bizarro.
Abraco fraterno

Bia 11:32 PM  

Aaah, eu sou um ser abominável que ainda guarda ressentimentos!

Um dia me curo, eu juro hahahahaha.

P.S.: Comentei no post anterior!

Bjux!

cotrimus 12:59 AM  

bravo!
adoro seu fluxo de pensamento, amorosamente ácido.
forte abraço!